29.9.05

Louça suja

Vivamos decentemente, como pessoas que vivem na luz do dia. Nada de farras ou bebedeiras, nem imoralidade ou indecência, nem brigas ou ciúmes. Mas tenham as qualidades que o Senhor Jesus Cristo tem e não procurem satisfazer os maus desejos da natureza humana de vocês.
Romanos 13. 13 – 14

Esta semana fui preparar um suco de caju ao leite depois do almoço. Ao pegar o liquidificador e me preparar para fazer o suco, notei que ele havia sido mal lavado depois de seu último uso. A sua tampa tinha ainda restos de fruta processada pelo lado de dentro.
Talvez você já tenha visto o que acontece quando não lavamos direito nossa louça de cozinha. No liquidificador, por exemplo, rapidamente os restos são fermentados por micróbios. E aquele pequeno sujo mal lavado pode se tornar um vetor de doenças e infecções. Deixar uma louça mal lavada é um risco à nossa vida e saúde.
Provavelmente sua primeira reação ao constatar a persistência de um sujo mal lavado em uma louça de cozinha seja semelhante a que tive quando vi a tampa do liquidificador suja: nojo. Nojo é a reação natural que temos ao ver coisas sujas, especialmente envolvendo coisas em nós que, sabemos, precisam ficar limpas. Como é o caso dos depósitos em que fazemos e armazenamos comida. Não conseguimos ficar bem se pensarmos que coisas sujas podem ser comidas por nós.
Esse exemplo me ensina coisas em duas dimensões sobre a necessidade de permanecermos santos e limpos diante de Deus; necessidade, como diz Paulo no texto destacado, necessidade de ter as qualidades que o Senhor Jesus Cristo tem e não procurem satisfazer os maus desejos da natureza humana de vocês.
Na primeira dimensão, quando olhamos para uma louça suja constatamos que, sem ser lavada, ela pode nos fazer mal. Do mesmo modo, a persistência em deixarmos faces sujas, marcas por limpar, restos em nosso interior vão nos fazer mal. Vão apodrecer e infectar a nossa vida espiritual. Pecados inconfessos, práticas que nos afastam da vontade de Deus, farras, bebedeiras, imoralidades, indecências, brigas e ciúmes fazem mal a nós mesmos, tiram a nossa vida e nos põem em caminhos de morte e destruição. Afastam-nos da luz e da fonte de Água Viva, capaz de trazer a nós vida plena, paz e amor. Roubam, enfim, a nossa paz com Deus e a nossa vida com o Senhor, deixando-nos adoentados e enfraquecidos espiritualmente, numa rota de auto-destruição e morte.
Nessa dimensão, somos confrontados com a nossa sujeira e percebemos a nossa necessidade de mudar, de ser limpo e santificado pelo Senhor, a fim de vivermos de uma maneira digna diante dEle, como alguém que O conhece e serve integralmente. Vivamos decentemente, como pessoas que vivem na luz do dia. Nada de farras ou bebedeiras, nem imoralidade ou indecência, nem brigas ou ciúmes. Mas tenham as qualidades que o Senhor Jesus Cristo tem e não procurem satisfazer os maus desejos da natureza humana de vocês. Nessa dimensão, aprendemos mais sobre nós mesmos e sobre o que nós devemos ser em Cristo.
Uma outra dimensão deste ensino é a do Senhor. O que fazemos quando constatamos uma louça suja em nossa cozinha? Nós a tiramos do uso e a lavamos até que se encontre limpa e apta a ser usada, sem risco de causar mal a quem quer que seja, porque temos nojo de usá-la assim. Foi isso o que eu fiz com o liquidificador: lavei a sua tampa e desde então fico atento para que não sobre nada sem limpar nele, a fim de evitar que surjam culturas de micróbios que possam causar mal à nossa saúde.
Do mesmo modo Deus faz conosco quando mantemos partes sujas e sem tratamento em nossa vida. Se percebemos, ao vermos a sujeira, que ela precisa ser limpa, Deus também vê. E como não podemos fazer nada em nossa própria força para gerar santidade e pureza em nós, Ele nos tira do meio do serviço por um tempo a fim de nos limpar em profundidade. Esse tempo é o necessário para que a limpeza seja feita. Não significa necessariamente um afastamento de obra ou ministério, mas pode ser apenas um momento especial diante do Pai, quando abrimos nosso coração a Ele e pedimos que aja em nossas vidas. Pode ser um evento em nossas vidas sobre o qual não tenhamos controle. Enfim, é uma ação que só o Senhor pode fazer para limpar o nosso interior e nos pôr aptos para o serviço novamente.
Algo assim é dito por Jesus a Pedro na noite da última ceia: Quem já tomou banho está completamente limpo e precisa lavar somente os pés (Jo. 13. 10). Jesus diz isso a Pedro quando ele, impulsivo, suplica que Jesus o lave por inteiro no lava-pés. Ali estão falando em purificação, em limpeza, e Jesus diz que quem já foi limpo por inteiro uma vez, só precisa tirar os restos de sujeira.
Vivamos decentemente, como pessoas que vivem na luz do dia. Nada de farras ou bebedeiras, nem imoralidade ou indecência, nem brigas ou ciúmes. Mas tenham as qualidades que o Senhor Jesus Cristo tem e não procurem satisfazer os maus desejos da natureza humana de vocês. Somos salvos em Cristo como pecadores. Entramos em relação com Ele como pecadores. Dia a dia, precisamos ser limpos e tratados por Sua ação graciosa de vida. Olhamos para nós e vemos louça suja, precisando ser limpa. Olhamos para nós e percebemos que precisamos viver as qualidade de santidade de Jesus. E Ele olha para nós e vem até nós para limpar os restos de sujeira em nosso interior. Em um processo que pode ser mais ou menos demorado, mais ou menos doloroso. Depende de nossa disposição em permitir que o Senhor nos faça novos.

2 comentários:

Anônimo disse...

Hi, I liked your blog its my first time here! If you are interested, go see my Tai Chi related site. Its purley for peoples health.

All the best John

Paula disse...

POis é, irmão, devemos manter-nos limpos e puros para Deus, como prova do nosso amor para ELe.
Como sempre, sou mto edificada com os seus posts.