2.11.05

A coisa certa a fazer

O próprio Cristo (...) deixou o exemplo, para que sigam os seus passos.
1 Pedro 2. 21

Quem assistiu Meu nome é Radio vai lembrar que ao ser perguntado porque se dedicava tanto para ajudar o jovem Radio, o treinador Harold Jones sempre respondia que aquela parecia a coisa certa a se fazer. Ainda que depois venhamos a descobrir uma outra motivação por trás das ações daquele homem, a mensagem que o filme passa é que devemos agir dessa maneira porque essa é a coisa certa a fazer.
Lembrei-me dessa frase hoje. Uma irmã de quem gosto muito, mãe de uma ex-namorada, está internada desde ontem pela manhã em uma UTI aqui de Natal. E eu estive lá ontem e hoje à tarde. Passei algumas horas ali com a família. E comecei a me perguntar porque fazia aquilo, uma vez que aquela família, pelo menos aparentemente, não tem mais nada a ver comigo. E entendi que estava fazendo aquilo porque aquela era a coisa certa a fazer. É muito difícil estar com uma família com um parente no hospital, mas essa família precisa saber que não está só, que existe alguém com quem pode contar, a quem pode abrir o coração, existe alguém que ora com eles e por eles. Fui ao hospital nessa tarde orando para que a minha presença fizesse diferença na vida de todos e para que viesse a abençoá-los de alguma forma. Essa é a coisa certa a fazer.
É assim que eu penso que devemos agir todos os que têm Cristo no coração. Somos chamados para fazer a coisa certa, independente da circunstância em que estejamos. Às vezes, a coisa certa é apenas estar ao lado de uma família que sofre, sem falar nenhuma palavra. Às vezes, fazer a coisa certa é falar com dureza a um ente querido que precisa se conscientizar a respeito de uma verdade. Às vezes, fazer a coisa certa é infligir dor a alguém que amamos pelo bem dessa pessoa. Às vezes, fazer a coisa certa é não fazer ou falar coisa alguma. Às vezes é estar presente; às vezes é faltar. Enfim, fazer a coisa certa é fazer o que Jesus faria, seguir-lhe os passos.
O próprio Cristo (...) deixou o exemplo, para que sigam os seus passos. Como cristãos, fomos chamados para fazermos o certo, mesmo quando esta não for a nossa vontade. Porque, como cristãos, somos chamados a viver de acordo com o exemplo deixado por Jesus e seguir os seus passos.
Nesses dias tenho pensado e escrito muito sobre o nosso chamado para ser bênção na vida dos outros. E esse chamado corre em profunda relação com a nossa capacidade de sermos discípulos fiéis a Jesus, andando nos rastro dos passos que Ele deixou na vida. Somos chamados a sermos os “pequenos Cristos” na vida dos outros, por nenhum outro motivo a não ser porque essa é a coisa certa a fazer.
Nossa vocação e dependência do Espírito serão máximas quando as nossas ações não tiverem nenhuma outra motivação, a não ser a verdade de que fazemos o certo porque não temos qualquer opção de não agirmos assim. A plenitude do Espírito se manifestará quando formos capazes de agir, em toda e qualquer circunstância, apenas porque era a coisa certa a fazer. Seremos bênção porque seremos santos. Seremos santos porque nenhuma motivação, a não ser o amor, estará em nossos corações. Será o esvaziamento pleno da razão humana e o enchimento total com a presença de Deus. Assim, seguiremos o exemplo de Cristo. E só assim, faremos sempre a coisa certa porque ela será a única coisa que poderemos fazer.

Um comentário:

how to make an ebook disse...

##Deadeasy##