6.9.05

Muitas aflições

Os bons passam por muitas aflições, mas o Senhor os livra de todas.
Salmo 34. 19

No coração e na cabeça de muita gente há uma crença de que gente boa não sofre, ou não merece sofrer. Aliás, tem muita gente que acredita e fala que os fiéis a Deus têm a garantia, da parte dEle, de uma vida de paz e tranqüilidade. Qualquer olhada mais detalhada na revelação que Deus dá de Si e do Seu relacionamento conosco na Bíblia desmonta facilmente esta idéia.
Os bons passam por muitas aflições, mas o Senhor os livra de todas. É interessante que o salmista não se contentou em dizer que os bons passam por aflições. Parece que ele precisava destacar que não simples ou poucas aflições pelas quais passam os fiéis: elas são muitas!
Essa é a história dos servos de Deus na Bíblia. Um homem fiel como José, filho preferido de Jacó, vítima da inveja de seus irmãos, foi vendido a mercadores que o levaram, escravo, ao Egito, onde passou a servir Potifar (Gn. 37). Na casa de Potifar, vítima do desejo da esposa do seu dono, é escorraçado com a denúncia falsa de tentativa de estupro contra aquela mulher (Gn. 39). Na cadeia, interpreta os sonhos do copeiro e do padeiro do Faraó. O primeiro, restituído ao seu cargo, esquece de sua promessa ao ex-companheiro de prisão, que amarga mais dois anos de cadeia injusta (Gn. 40). José, um homem justo e fiel, sofreu muito injustamente. Os bons passam por muitas aflições.
O próprio povo escolhido, Israel, enfrentou quatro séculos de opressão e escravidão no Egito. Na sua fase final, o Faraó ainda tentou promover um genocídio terrível ao obrigar as parteiras a matar todos os bebês do sexo masculino (Ex. 1. 16). Os israelitas sofreram muito na escravidão do Egito: Os egípcios ficaram com medo deles e os tornaram escravos, tratando-os com brutalidade. Fizeram com que a vida deles se tornasse amarga, obrigando-os a fazer trabalhos pesados na fabricação de tijolos, nas construções e nas plantações. Em todos os serviços que os israelitas faziam, eles eram tratados com crueldade (Ex. 1. 12 – 14).
O apóstolo Paulo era um homem que sabia o que era sofrer por ser justo, sofrer sendo bom. Para ele, conhecer a Cristo envolvia tomar parte nos seus sofrimentos e me tornar como Ele na Sua morte (Fp. 3. 10). Além disso, ele entende que das credenciais do verdadeiro apóstolo fazem parte as muitas aflições pelas quais os bons passam: Pois eu tenho trabalhado mais do que eles e tenho estado mais vezes na cadeia. Tenho sido chicoteado muito mais do que eles e muitas vezes estive em perigo de morte. Em cinco ocasiões os judeus me deram trinta e nove chicotadas. Três vezes os romanos me bateram com porretes, e uma vez fui apedrejado. Três vezes o navio em que eu estava viajando afundou, e numa dessas passei vinte e quatro horas boiando no mar. Nas muitas viagens que fiz, tenho estado em perigos de inundações e de ladrões; em perigos causados pelos meus patrícios, os judeus, e também pelos não-judeus. Tenho estado no meio de perigos nas cidades, nos desertos e em alto mar; e também em perigos causados por falsos irmãos. Tenho tido trabalhos e canseiras. Muitas vezes tenho ficado sem dormir. Tenho passado fome e sede; têm me faltado casa, comida e roupas (...) Se existe motivo para eu me gabar, então vou me gabar das coisas que mostram a minha fraqueza (2 Co. 11. 23 – 27 e 30). Mas não parava aí, porque um dia, em Damasco, o governador da cidade quis matá-lo e ele teve de fugir descendo em um cesto pelo muralha (2 Co. 11. 32 – 33). Certamente, a vida de Paulo prova que os bons passam por muitas aflições!
Todos nós temos passado por lutas as mais diversas. Eu não tenho como conhecer as que você tem enfrentado, mas posso estar certo de que são muitas as aflições que nos atingem na nossa vida. A grande diferença é que não precisamos estar sós nas nossas aflições. Podemos contar com a presença e o socorro do Senhor. Porque os bons passam por muitas aflições, mas o Senhor os livra de todas. Dia desses, eu sonhei que estava em uma enorme construção, repleta de pessoas. E de repente, vinha alguém que podia identificar como um anjo e me falava ao ouvido para deixar aquele lugar, porque ele ia desmoronar. E quando eu perguntava se deveria anunciar a todos ali que o prédio ia ruir, aquele alguém me dizia que eu não me preocupasse com isso porque Ele mesmo socorreria os bons.
É desse modo que Deus age. Se é certo que na vida passaremos, não por algumas aflições, mas por muitas aflições, também é certo que poderemos sobreviver e sermos guardados e protegidos pelo Senhor. Ele livra os bons em suas muitas lutas. Você pode crer que Ele conquistará as vitórias que forem necessárias para livrar a Sua vida das situações mais complicadas em que você se encontra. Você pode crer. Confie no Deus que guarda e livra sua vida. Confie no Deus que quer levar você para ainda mais perto dEle, para protegê-lo sob Suas asas. Confie no Deus que coloca você nos mais recôndito do Seu tabernáculo para proteger sua vida (Sl. 27. 5). Confie no Deus que tira você do poço mais profunda e firma seus pés sobre a Rocha (Sl. 40. 2). Confie no Deus que garante que livrará você. Os bons passam por muitas aflições, mas o Senhor os livra de todas.

Um comentário:

Ericka disse...

Gostei muito do seu blog. Nós cristãos, devemos refletir mais, pensar mais ... e praticar. É bom ter espaços como estes, que trazem edificação espiritual. Também sou jornalista. Convido você para conhecer o meu humilde blog: vidacomjesus.flog.oi.com.br.